trabalho

3 em cada 10 creem que seu ambiente de trabalho é inclusivo

De acordo com estudo da Michael Page, profissionais brasileiros sentem que podem ser autênticos nas organizações

Redação

11 de julho de 2024

COMPARTILHE

Três em cada dez profissionais brasileiros consideram inclusivo o ambiente de trabalho em que estão inseridos. É o que aponta o estudo global Talent Trends, da Michael Page, uma das maiores consultorias especializadas em recrutamento de executivos, parte do PageGroup. Segundo a pesquisa, 32% dos respondentes do Brasil enxergam a inclusão em suas organizações atuais, ficando à frente das médias global (26%) e da América Latina (28%). Os entrevistados brasileiros lideram o ranking dos profissionais que sentem que podem ser autênticos no trabalho (42%), à frente dos indicadores globais (35%) e da América Latina (40%).

Leia também: 5 e-books gratuitos sobre economia digital

“As recentes mudanças no mercado de trabalho, como a adesão ao modelo híbrido e a participação de até cinco geração diferentes em uma mesma empresa, tornaram ainda mais complexa a tarefa das organizações de implementarem diversidade e inclusão em suas rotinas. Tantos os profissionais como os empregadores têm de lidar diariamente com expectativas cada vez mais variadas para evitarem conflitos entre grupos que necessitam e esperam um olhar mais atento das companhias. Sabemos que o número de profissionais que se sentem incluídos ainda é baixo, então ainda temos um grande caminho para percorrer não só no Brasil, mas regionalmente e globalmente”, explica Isabel Pires, gerente executiva da Michael Page. 

Os respondentes do Brasil também estão à frente no número de profissionais que já sofreram etarismo. Segundo o levantamento, 46% dos entrevistados foram discriminados pela idade, mesmo percentual identificado na América Latina. Já no cenário global o índice é de 44%.

Os dados fazem parte da pesquisa global Talent Trends 2024, um dos estudos mais abrangentes sobre profissionais e o mercado de trabalho, realizado em novembro e dezembro de 2023, em 37 países. Ele conta com a participação de aproximadamente 50 mil profissionais em todo o mundo, que atuam em empresas de diferentes segmentos e portes. O objetivo desse levantamento é alinhar as diferentes expectativas de profissionais (salários competitivos, flexibilidade e aspectos da cultura organizacional) e empresas (que sofrem pressões externas de um mercado de trabalho dinâmico).

A pesquisa apontou que 7% dos respondentes brasileiros já foram discriminados ou marginalizados em seu cargo atual, atrás das médias global (9%) e da América Latina (10%). O levantamento também procurou entender o cenário de denúncias de discriminações no ambiente de trabalho. Quem mais denuncia os casos são os profissionais do México (28%), seguidos por Chile (23%), Brasil (20%) e Peru (12%).  A média na América Latina ficou em 23%.  

“As empresas devem priorizar a criação de um ambiente inclusivo, em que todos os colaboradores se sintam valorizados e possam ser autênticos no trabalho. Implementar políticas claras e eficazes de diversidade, equidade e inclusão é o primeiro passo para promover uma cultura aberta, com confiança e respeito, deixando os profissionais seguros para opinarem sobre o tema e denunciarem qualquer forma de discriminação”, conclui Isabel, da Michael Page.

TAGS:
ambiente de trabalhocarreirasdiversidadeinclusãoprofissões

Conteúdos relacionados

Bem vindo de volta