compras

41% das empresas não planejam Black Friday com antecedência

Apesar disso, maioria das lojas no Brasil pretende participar da promoção, segundo levantamento da Provu 

Redação

20 de outubro de 2022

COMPARTILHE

Levantamento realizado pela fintech Provu concluiu que a grande maioria dos lojistas no Brasil (85%) pretende participar da data comemorativa do comércio. Entretanto, pouco menos da metade deles (40,9%) afirma que se planeja com antecedência para a data.

Dos entrevistados, entre micros, pequenas, médias e grandes empresas de diversos setores de vendas, apenas 6% revelam que os preparativos começam desde a Black Friday do ano anterior. Já 14,9% começam a se planejar nos meses de julho e agosto e 11,9% das lojas afirmam se preparar no mês anterior à Black Friday.

Essa falta de antecipação pode influenciar no alcance das vendas e da própria operação, tendo em vista que 44,8% se queixam que os principais desafios para a Black Friday são o marketing e a divulgação, seguido por meios de pagamento (29,9%) e estratégia de vendas (11,9%). Precificação, estoque e experiência do consumidor surgem com 6%, 4,5% e 1,5% respectivamente.

Expectativas para data

As expectativas para a data, entretanto, são altas. Para 43% destes comerciantes entrevistados, a expectativa é aumentar as vendas entre 10% e 30% em comparação com 2021; já 26,9% esperam subir o faturamento entre 30% e 50%, enquanto 9% planejam elevar as vendas em até 10% em relação ao ano passado.

Em relação às ofertas, 64,2% dos respondentes pretendem aplicar descontos em produtos específicos, enquanto 35,8% planejam aplicar desconto em todos os produtos da loja. Além disso, a expectativa para 61,2% dos comerciantes é de que as vendas na Black Friday sejam mais direcionadas a novos clientes.

O Pix deve ser o pagamento da vez desta edição da Black Friday. Entre os entrevistados, 85% disseram que vão incentivar formas de pagamento específicas na data, sendo boleto e pix parcelado para 52,6% e cartão de crédito para 22,8%.

Apenas para 14% dos lojistas pesquisados, a Black Friday não será implementada em suas lojas. Dentre os principais motivos, 45,5% apontam que as margens que praticam não permitem dar descontos e 18,2% não tem aderência com os produtos/serviços que oferecem ou não observam vantagens para o faturamento.

Via IT Forum

TAGS:
e-commercem-commercemarketing digitalrede socialtecnologiatecnologia da informação

Conteúdos relacionados

Bem vindo de volta